Encher o combustível até a boca causa problema?

0
449

No Brasil o preço do combustível é sempre um peso na carteira. No entanto, isso não é motivo para nos descuidarmos. Quando você pede para o frentista encher “até a boca” com medo que a gasolina seja mais cara no dia de amanhã, você coloca sua carteira em um risco ainda maior, já que pode danificar partes caras do seu veículo, como o motor ou as partes elétricas.

Deve-se tomar cuidado também para que o frentista não ultrapasse o limite, enchendo a gasolina até a boca, com o objetivo de arredondar o valor.

Como o frentista sabe que o tanque está cheio

O frentista, ao começar a encher o tanque de gasolina do seu carro, irá escutar um estalo ao completá-lo. Este estalo é a indicação de que o tanque foi enchido até o limite permitido.

Essa medição é possível graças ao cânister, peça obrigatória que fica entre o tanque de combustível e a admissão do motor em todos os carros produzidos a partir de 1989 em diante.

A função principal do cânister é de amenizar os poluentes liberados na atmosfera tratando os gases oriundos dos combustíveis. Feito de carvão ativado, ele conta com uma tubulação específica para receber e filtrar esses gases nocivos, assim devolvendo-os para a atmosfera de forma adequada.

O carvão ativado do cânister é um material de carbono com bastante porosidade desenvolvida, dando a capacidade de absorver gases, líquidos ou impurezas na parte interna do seus poros, assim filtrando os gases nocivos advindos do combustível.

O motorista também pode consultar o manual do veículo para saber a capacidade máxima que o tanque pode ser abastecido. Geralmente a capacidade real do tanque é 10% maior do máximo permitido (onde chegaria no limite do cânister).

O que acontece quando enchem o tanque até a boca, ou acima do limite do Cânister

Diversos problemas! Confira abaixo os principais reveses ocasionados por encher o tanque “até a boca”:

  • Podem ocasionar falhas no motor e danificar o próprio cânister
  • Colocam a saúde do frentista em risco
  • Polui o meio ambiente
  • Podem ocasionar falhas na parte elétrica do veículo

Quando o combustível passa do limite do cânister, a filtragem desta sobra não ocorre, fazendo com que os carvões do cânister se desprendam, assim danificando outros componentes mecânicos do veículo que podem ocasionar em falhas no motor e na parte elétrica do veículo.

Abastecendo além do nível correto, a pressão fica negativa dentro do sistema, ocasionando na inibição do filtro e obstruindo o ar, assim tendo que fazer o sistema fazer mais força para trabalhar.

Além do já óbvio risco ao meio ambiente, não preencher a gasolina somente até o automático também ocasionam problemas de saúde. Quando o cânister realiza sua função normalmente, a substância cancerígena chamada de benzeno não se manifesta, diferente de quando o limite do cânister é ultrapassado.

Respeitar o limite do Cânister é tão importante que já foram feitos até campanhas de conscientização no Brasil

No Paraná, em 2014, foi realizado uma campanha para evitar que os postos preenchessem a gasolina acima do limite do Cânister dos veículos, para evitar os riscos ao meio ambiente, à saúde e danos aos veículos.

Agora que você já sabe, lembre-se de cuidar bem do seu carro e não peça para encher o tanque do seu veículo até a boca. E não esqueça de cuidar para que o frentista também não faça isso! Ao ouvir o primeiro estalo da bomba causada pela mangueira, avise o frentista que o tanque está cheio.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.